No post passado o Christiano do Clube do Dinheiro me lançou um desafio. Eu pedi que ele criticasse o blog e sugerisse mudanças (assim como gostaria que todos vocês fizessem) e ele me lançou uma idéia que, como jornalista/curiosa que sou resolvi aceitar.

Ele disse “Minha única (e aí sim, talvez uma boa) sugestão seria você trabalhar em um micro-empreendimento e abordar o seu desenvolvimento aqui. Seria realmente muito interessante e prazeroso ler sobre o desenvolvimento de um novo negócio sob a ótica da “Menina de Negócios”.”

Então vamos lá! MÃOS A OBRA como diria minha mãe!

Meu cérebro não está ajudando muito na criação de uma idéia genial, mas acredito que ela virá com o tempo! 🙂

Mexendo em umas caixas de bagunça achei um uns rabiscos de uma idéia que parece ter potencial. Não sei porque tenho essa mania de escrever e guardar papéis avulsos em locais onde eu nunca mais vou encontrar. Parece até que as idéias são ruins e não merecem consideração, mas tenho que admitir que até são boas.

Isso deve acontecer com várias pessoas que, assim como eu, ainda não tiveram o “empurrão inicial”! Sem esse empurrão, várias idéias minhas já foram para a gaveta, para o lixo, ou para o buraco negro do meu HD. Então dessa vez resolvi fazer tudo certinho. Não vou deixar a minha idéia de 1 milhão de reais se perder no mundo! Sempre é bom lembrar que várias idéias idiotas e simples se tornaram grandes fontes lucrativas para seus donos, vide o post “Personal SEX”.

Então meu primeiro passo foi visitar o site do SEBRAE. Lá eles dão cursos, palestras e dicas sobre como começar seu negócio. Lá eles também ensinam como é fácil (e realmente é muito fácil) formalizar sua empresa e garantir seus direitos em caso de gravidez, acidentes, aposentadoria e etc.

Mas a primeira coisa na minha empreitada, segundo a minha pesquisa por vários sites além do SEBRAE, é criar um plano de negócio. Esse plano serve para direcionar o que se deve fazer para criar seu negócio e, principalmente, para prever riscos e erros. Quando você escrever todo o seu plano fica mais fácil ver os erros feitos no papel e não fazê-los novamente na vida real. Parece óbvio mas é verdade!

Segundo o manual de como elaborar um plano de negócio, temos que escrever alguns tópicos:

  1. Resumo dos principais pontos do plano de negócio. (indicadores de viabilidade, lucratividade, rentabilidade, prazo de retorno de investimento, ponto de equilíbrio)
  2. Dados dos empreendedores, experiência profissional e atribuições;
  3. Dados do empreendimento;
  4. Missão da empresa. (Respondendo a perguntas como: Qual é o seu negócio? Quem é o consumidor? O que é valor para o consumidor? O que é importante para os empregados, fornecedores, sócios, comunidade, etc.)
  5. Setores de atividades;
  6. Forma jurídica. (Definir se será um empresário individual ou fazer parte de uma sociedade limitada)
  7. Enquadramento tributário (Regime simples ou normal no âmbito federal, Regime Simplificado, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços no âmbito estadual e o ISS – Imposto sobre Serviços no âmbito municipal.
  8. Capital social; (nome do sócio, dinheiro disponível e porcentagem)
  9. Fonte de recursos.

Com esses passos é possível criar um plano de negócios que preveja pelo menos alguns dos erros que vamos (com certeza VAMOS) cometer pelo caminho. Pelo menos serão menos erros, certo? E quem sabe esse plano pode nos garantir uma graninha extra para investir! Afinal, como diz Homer Simpson:

“Ele pode ter todo o dinheiro do mundo, mas tem uma coisa que ele não pode comprar… Um dinossauro!”

Boa sorte pra gente!

comentários
 

Deixe seu comentário